sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Bhordo melhora automação com a Suprasetter A 75 e o sistema Prinect

De acordo com Evandro Brambilla, sócio diretor da Bhordo, num curto espaço de tempo com a adoção da Suprasetter A 75 a produção apresentou melhoras na velocidade de acerto e diminuição de malas de maculatura. “O sistema Prinect integra a pré-impressão, a impressão e o acabamento, além de criar dados para pré-ajustes”, completa.

A Heidelberg foi escolhida pela Bhordo Artes Gráficas para a troca de máquinas CTP e sistemas de gerenciamento da produção com o objetivo de aumentar a automação na pré-impressão e consequentemente melhorar o tempo de produção.

A máquina e o sistema adquiridos, respectivamente, são a Suprasetter A 75 e o Prinect, os quais irão oferecer melhoria no fluxo interno de trabalho. A aquisição da máquina Suprasetter A 75 tem como objetivo aumentar a automação pelo carregamento automático de chapa e da furação interna, que permite dessa forma, maior precisão no acerto na impressora. Já a obtenção do sistema Princect tem como finalidade aumentar a velocidade no fechamento de arquivos uma vez que erros e falhas detectados pelo software serão eliminados.


Fundada em 1997, a Bhordo duplicou a estrutura instalada da sede localizada no Rio Grande do Sul, ano passado, em razão do aumento da demanda por novos serviços e constante preocupação em oferecer melhoria significativa aos clientes. Com atuação nos segmentos de impressão digital, impressão digital grandes formatos e impressão offset, a Bhordo conta com aproximadamente 21 colaboradores. 

Destinados R$ 61,7 milhões para compra de obras de literatura

De acordo com o Portal do MEC, o Ministério da Educação liberou R$ 61,78 milhões para pagamentos relacionados ao Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). 

O valor será repassado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão responsável por efetuar o pagamento às editoras e à Empresa Brasileira de Correio e Telégrafos.


As obras literárias e os livros didáticos adquiridos por meio do programa são distribuídos a escolas públicas de ensino fundamental e médio, em todas as unidades da Federação. 

Desde janeiro, o MEC liberou ao FNDE R$ 1,62 bilhão para pagamentos relacionados ao programa. Desde o início da atual gestão, o MEC já liberou ao FNDE mais de R$ 880 milhões para pagamentos do PNLD.

Congraf desenvolve cartucho para Colônia da L’Occitane au Brésil


A L’Occitane au Brésil, marca franco-brasileira do Grupo L’OCCITANE, conhecida em nosso país por divulgar através de seus produtos as riquezas naturais e culturais do Brasil, encontrou na mulher de Olinda a inspiração para a linha de produtos, composta por itens de perfumaria e cuidados corporais. 

O cartucho da Deo Colônia Olinda Foi produzido pela Congraf Embalagens, que desenvolveu a estrutura ajustando-a ao frasco. Impresso no verso fosco do cartão tríplex 300g, em 5 cores, a caixa recebeu aplicação de hot stamping prata fosco e também aplicação de um verniz a base de água fosco. Esses acabamentos especiais realçaram as cores vibrantes que representam os elementos regionais contagiantes de Pernambuco, como o frevo e o carnaval, e trazem ainda mais harmonia e beleza para a linha.


“A Congraf é uma importante parceira da L’Occitane e a participação deles no projeto foi essencial para a impressão dos cartuchos. Com essa expertise, a Congraf conseguiu produzir embalagens com excelência em impressão, trazendo vida para as ilustrações da Joana Lira”, considera Edson Futino, Coordenador do Departamento de Embalagens da marca L’Occitane au Brésil.

Ibá divulga resultado da indústria florestal

A Indústria Brasileira de Arvores (Ibá) concluiu a análise do setor florestal com a compilação dos dados até novembro de 2016. Nos onze primeiros meses deste ano, o volume de exportações dos três segmentos analisados – celulose, painéis de madeira e papel – apresentaram evolução na comparação com o mesmo período do ano passado, colaborando para o resultado positivo do saldo da Balança Comercial do setor, que atingiu US$ 6 bilhões (+2,3%). A celulose contribuiu positivamente com US$ 4,8 bilhões (-0,1%), o papel com US$ 1,0 bilhão (+9,7%) e os painéis de madeira com US$ 220 milhões (+29,4%).

De janeiro a novembro de 2016, o segmento de celulose atingiu um volume de 11,7 milhões de toneladas exportadas (+11,6); o papel registrou 1,9 milhão de toneladas (+2,5%) e os painéis de madeira 932 mil m3 (+65,2%).

Os países latino-americanos continuaram como os principais destinos das exportações dos setores de papel e de painéis de madeira, sendo responsáveis por 60,3% (US$ 1,0 bilhão) e de 54,0% (US$ 121 milhões), respectivamente, entre janeiro de novembro deste ano. No caso da celulose, a maior participação é do mercado chinês, com 37,9% (US$ 1,9 bilhão), seguida pelo europeu, com 33,1% (US$ 1,7 bilhão).

Nos primeiros onze meses deste ano, o setor registrou exportações no valor de US$ 6,9 bilhões (-2,1%); a celulose alcançou 5,0 bilhões (-1,2%), o papel US$ 1,7 bilhão (-7,3%) e os painéis de madeira US$ 224 milhões (+27,3%).

No mesmo período, a produção brasileira de celulose atingiu 17,1 milhões de toneladas (+8,5%); e a de papel manteve-se estável totalizando 9,5 milhões de toneladas. As vendas de papel no mercado interno registraram 4,9 milhões de toneladas (-0,4%) entre janeiro a novembro de 2016; enquanto que no segmento de painéis de madeira, registraram mais de 5,7 milhões de m³ (-3,3%).


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Hunkeler está pronta para o Innovationdays 2017


Evento que reúne grandes players da indústria gráfica internacional vai ser realizado em 
Lucerna, na Suíça 


De 20 a 23 de fevereiro de 2017, o Hunkeler Innovationdays será realizado pela 12ª vez no Messe Lucerne. A cada edição, o evento amplia sua reputação internacional. A Hunkeler, empresa organizadora do evento, aposta em um espaço compacto para que o encontro forneça uma visão geral da indústria de forma robusta.

A fabricante suíça faz questão de manter o Hunkeler Innovationdays focado em soluções integradas e aplicações práticas para que os visitantes conheçam os últimos desenvolvimentos em todas as áreas de produção e acabamento de produtos impressos digitalmente. Aproximadamente 80 expositores apresentarão seus mais recentes produtos.


Estará em pauta o desenvolvimento da impressão digital e do setor de acabamento. Realizado a cada dois anos, o Hunkeler Innovationdays coloca em discussão às tendências atuais, além de comprovar a eficácia dos últimos desenvolvimentos. Há uma evidente interação com o mundo real, com o ambiente de produção. 

Para muitos especialistas e empresários de todo o mundo, o evento virou uma plataforma indispensável para a informação pontual. Durante os três dias, os visitantes valorizam a oportunidade única de se reunirem pessoalmente com membros dos principais fabricantes de sistemas de impressão digital, desenvolvedores de soluções de software, bem como fornecedores de consumíveis e materiais de acabamento.

Os visitantes podem fazer comparações diretas de uma ampla gama de cenários de solução para impressão de transpromocional, livros, folhetos, jornais, produção de mala direta e impressão de segurança.




As soluções integradas que abordam todos os aspectos do fluxo de trabalho e para cada segmento da indústria serão mostradas na Hunkeler innovationdays 2017. Os avanços técnicos proporcionam acesso às economias e vantagens dos processos de impressão digital e acabamento em um número crescente de segmentos e aplicações como, por exemplo, a impressão das embalagens. 

Mais sobre o evento no http://innovationdays.hunkeler.ch/

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Tetra Pak e Nordson firmam parceria para oferecer serviços de manutenção nos equipamentos de adesivos

A Tetra Pak anuncia uma parceria inédita com a Nordson, multinacional que fabrica equipamentos para aplicação de adesivos, selantes e revestimentos. Com o acordo, as empresas passarão a oferecer serviços personalizados a seus clientes brasileiros por meio de um novo modelo para manutenção nos equipamentos de aplicação de adesivos.

A partir dos novos processos adotados, haverá uma redução considerável no tempo de manutenção dos equipamentos, evitando, assim, paradas indesejadas durante a produção dos clientes. Além disto, a Tetra Pak e a Nordson também oferecem serviços de treinamento, limpeza e descarbonização, além de upgrades, como sistema de abastecimento automático dos adesivos.

De acordo com Edison Kubo, Diretor de Desenvolvimento de Negócios de Serviços Técnicos da Tetra Pak, o novo modelo de negócio foi desenvolvido exclusivamente para equipamentos do segmento de alimentos e bebidas, levando em consideração importantes diretrizes de segurança alimentar. “Com este modelo, os nossos clientes conseguem reduzir o tempo e os custos de manutenção, o que em consequência melhora a utilização dos seus ativos”, destaca o executivo.

Para Aloisio Grilo, Gerente de Desenvolvimento de Novos Negócios da Tetra Pak, a parceria faz com que todos os elos da cadeia sejam beneficiados. “O acordo entre a Nordson e a Tetra Pak gera mais valor aos nossos clientes. Estamos caminhando juntos, compartilhando objetivos, fortalecendo nossas operações e aumentando a capacidade tecnológica para as duas empresas”, explica.

De acordo com Debora Ramos, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Nordson do Brasil, a companhia acredita no sucesso da parceria, que se propôs a reformular toda a sua estrutura de manutenção, incluindo investimentos e alocação de mão-de-obra especializada. “Esta reestruturação tem como objetivo suportar o aumento da demanda, mantendo a qualidade, agilidade e a excelência sempre demonstrada pela Nordson nos mercados em que atua”, ressalta.


Os serviços estão disponíveis para os clientes da Tetra Pak Brasil. A expectativa da empresa é levá-lo para todos os países nos quais atua nas Américas, a partir de 2017.

Jornal entra na era da Realidade Virtual

Um novo olhar na forma de ler e ver suas matérias. Assim o Estadão apresenta na próxima semana duas grandes novidades em sua mais recente incursão tecnológica, que possibilitará ao leitor “entrar” nas reportagens. Nesta segunda-feira (5), o público pode ter em suas mãos o caderno interativo da série “O Brasil que o Brasil quer”, com vídeos, áudios, infográficos interativos e galeria de fotos. Já hoje, terça-feira (6), estará disponível o Estadão Realidade Virtual, que colocará o veículo na vanguarda dos veículos de comunicação. São dois aplicativos inovadores que ampliarão as fronteiras multimeios do jornal.

“Com o lançamento das duas novas iniciativas o Estadão mais uma vez inova. Ao mesmo tempo seguimos com nossa estratégia de usar o melhor que a tecnologia oferece para seguir fazendo o que realmente importa: contar histórias relevantes e interessantes para nossas audiências, onde e quando fizer sentido”, explica Marcelo Moraes, diretor de Marketing Publicitário do Estadão.

A primeira iniciativa do Estadão em realidade virtual (RV) foi em Bonito (MS), com um especial de aventura produzido pela blogueira Karina Oliani, que resultou em quatro atividades diferentes na companhia da apresentadora - trilha 4X4, rapel, mergulho e rafting, todos em RV. Segundo ela, a escolha por começar o trabalho em Bonito foi proposital. 

“Quando o Estadão veio com a proposta, me perguntei qual seria o lugar no mundo todo que mais gostaria de mostrar ao público. Não tive dúvidas na escolha e na sugestão que fiz ao jornal. Bonito é um dos lugares mais lindos do planeta e ideal para ser mostrado em uma realidade imersiva como essa”, afirma a aventureira, que tem no currículo viagens para mais de 90 países. Além de blogueira do Estadão, está no ar na TV paga no programa “Desafio Celebridades” da Discovery. “A ideia é levar ao leitor as aventuras mais espetaculares do Brasil e do mundo. Muita coisa boa vem por aí.”

A realização e produção da “viagem” é da Academia de Filmes, uma das pioneiras em vídeos RV360. Toda a ação tem oferecimento da Mitsubishi. Para Tadeu Jungle, sócio da produtora, a realidade virtual trouxe uma mudança na narrativa que não se via desde a invenção do cinema e o Estadão está na vanguarda dessa disrupção tecnológica na forma de narrar uma notícia.

“Em 2017, 60% do tráfego na internet será por meio de vídeos. Imagina um jornal produzindo matérias em realidade virtual e levando seu leitor para dentro da notícia, com mudança na narrativa, pois nos leva a um mergulho no local onde o fato está acontecendo. Essa não é uma visão muito distante de acontecer. Posso afirmar, sem exagero, que essa experiência do Estadão dá início a uma nova era para o jornalismo, com infinitas possibilidades”, defende Jungle. Para ele, o jornal mostra seu valor, pois aposta em uma tecnologia que está apenas começando no Brasil e que tem muito futuro e será acessível a todos, bastando ter óculos especiais e um smartphone.

Para uma experiência completa, o leitor deverá usar óculos de realidade virtual e ter um experimento completamente imersivo nessa viagem, produzidos pela Beenoculus. Parceria do Estadão na iniciativa, a empresa é inovadora e está na vanguarda do desenvolvimento de projeto 360/realidade virtual, tendo desenvolvido os primeiros óculos de realidade virtual produzidos no Brasil, com uma inovadora "metodologia de educação imersiva em primeira pessoa”. Há também alternativa para os que não tiverem os óculos, pois o material também será repercutido na TV Estadão, Instagram e Facebook do jornal.

Projeto interativo especial – A outra frente vem de um projeto especial, mas que pode ter inúmeras alternativas e oportunidades. O caderno interativo da série “O Brasil que o Brasil quer”, patrocinado pela Siemens, proporcionará nova forma de ler jornal que vai além do texto, com vídeos, áudios, infográficos interativos e galeria de fotos.

O leitor que tiver o aplicativo terá acesso a conteúdo diferenciado da série e que também conta com eventos e boletins na Rádio Estadão. Para ler, basta baixar o app, posicionar o smartphone em cima do jornal e começar a viagem pelo material exclusivo.


Os aplicativos Estadão Realidade Virtual e Caderno Interativo Siemens estarão disponíveis para os sistemas Android e IOS e podem ser baixados gratuitamente. Assinantes do Estadão terão direito a desconto na compra dos óculos de RV.