quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Líderes em plena convergência

Claudio Marcos Angelini, gerente de contas especiais marketing direto DECOM/VIPOS/ECMKD dos Correios: “Os Correios se prepararam fortemente para atender a todas as demandas da Eleição 2016, desde a logística envolvida no transporte de urnas eletrônicas em todo território nacional até as necessidades de comunicação dos partidos e candidatos.”


Atenta à demanda eleitoral por impressão, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf Nacional) exerce sua lição de liderar o setor gráfico ao colocar à disposição a cartilha Vote no Impresso. O material impresso, evidentemente, espelha as novas regras para as campanhas, mostra o que pode ou não ser feito no marketing dos candidatos e apresenta as possibilidades e soluções da comunicação gráfica para a propaganda eleitoral. 
Recentes mudanças na legislação eleitoral tornaram a comunicação impressa mais relevante. “Estudos e pesquisas nacionais e internacionais atestam que a palavra impressa tem maior poder de fixação e assimilação por parte do público e, além disso, conota mais credibilidade e seriedade”, salienta Levi Ceregato, presidente da entidade, acrescentando que a cartilha é apartidária e eminentemente técnica (Mais informações no site http://www.votenoimpresso.com.br/.

Ao olhar o universo da comunicação de forma plural e convergente, a Abigraf, naturalmente, cria um elo de parcerias com as empresas que circundam da mesma atmosfera. Neste ponto, por exemplo, há uma interatividade fina com os Correios. Por isso, convidamos Claudio Marcos Angelini, gerente de contas especiais marketing direto DECOM/VIPOS/ECMKD dos Correios, para mostrar como o gráfico pode explorar algumas ferramentas de comunicação por meio do know-how desenvolvido há anos pelos Correios.

Fábio Sabbag

GRAPHPRINT: Com o olhar voltado à impressão, fale sobre as estratégias dos Correios para alcançar a demanda inerente ao período eleitoral?
Angelini: Diante da lei nº 13.165/2015, conhecida como “Reforma Eleitoral 2015”, que promoveu uma série de alterações na comunicação eleitoral, a comunicação impressa será o principal meio que os candidatos poderão utilizar e garantir que sua proposta de campanha chegue ao eleitorado. Sob essa ótica, os Correios desenvolveram um conjunto de ações orientando os interessados sobre os produtos e serviços mais adequados para otimizar essa comunicação, uma vez que o período de campanha foi reduzido para apenas 45 dias.
A empresa criou um hotsite (www.correios.com.br/eleicoes) que é uma ferramenta imprescindível para os candidatos que não possuem contrato com agência de propaganda ou que não possuem um staff dedicado ao desenvolvimento de sua comunicação. Nesse site, o candidato encontra dicas de comunicação e pode criar a sua própria mala direta, de forma rápida e prática. O site permite, ainda, a consulta de CEPs, tarifas, prazos e contatos comerciais, além de um resumo da legislação e do calendário eleitoral. Os Correios produziram também uma cartilha de orientação sobre as soluções de comunicação para as eleições, distribuídas em nível nacional, além de palestras proferidas à área comercial dos Correios e a assessores e candidatos interessados.

GRAPHPRINT: Qual o tamanho dessa demanda em relação ao que há disponível para a mídia impressa?
Angelini: Tradicionalmente, o período eleitoral registra um grande acréscimo no volume de correspondências distribuídas. que inclui cartas e malas diretas.

GRAPHPRINT: Você acredita que no momento o político brasileiro vai apostar na mídia impressa como foco da divulgação da campanha?
Angelini: Acreditamos que sim, pois o elevado número de candidatos que não conseguirão espaço nas mídias de massa, pelo limite do horário eleitoral gratuito, e as restrições da Lei Eleitoral farão com que a estratégia de comunicação priorize a mídia impressa como principal veículo. 

GRAPHPRINT: Fale sobre as ferramentas usadas pelo Correios nesta caminhada eleitoral. Há a possiblidade de o cliente interagir com o próprio site da empresa no intuito de elaborar sua mídia impressa?
Angelini: Os Correios se prepararam fortemente para atender a todas as demandas da Eleição 2016, desde a logística envolvida no transporte de urnas eletrônicas em todo território nacional até as necessidades de comunicação dos partidos e candidatos. No site dos Correios o candidato terá acesso a informações muito úteis para desenvolver sua estratégia de comunicação. Por meio do produto Mala Direta Fácil, que pode ser montado pela internet (www.maladiretafacil.com.br), o cliente também poderá criar sua própria mala direta de forma rápida e simples, bastando, simplesmente, gravar o arquivo e levá-lo a qualquer gráfica para impressão e, posteriormente, postar o material em qualquer agência postal.

GRAPHPRINT: Há ações que prezam pelo marketing customizado via mala direta, por exemplo?
Angelini: Para aqueles candidatos que não possuem um mailing (cadastro) de eleitores, os Correios disponibilizam o serviço Mala Direta Domiciliária, em que o candidato envia a sua mensagem, sem endereçamento, para as residências dos eleitores, bastando escolher a região de seu interesse, que pode ser um bairro, um conjunto de bairros ou até mesmo toda a cidade. Os carteiros farão a distribuição porta a porta. O serviço tem um ótimo custo benefício, porque é cobrado por milheiro, e ainda tem possibilidade de desconto por volume postado. Um grande facilitador é que não há necessidade de se firmar contrato, bastando apenas incluir no material impresso a chancela do serviço, identificando o candidato com seu nome e CNPJ.

Claudio Marcos Angelini, gerente de contas especiais marketing direto DECOM/VIPOS/ECMKD dos Correios: “O serviço Mala Direta Domiciliária pode e deve ser amplamente explorado pelos gráficos de todo o Brasil. É o serviço ideal para o pequeno empreendedor, que não tem uma agência de propaganda e que necessita prospectar e fidelizar sua clientela.”

GRAPHPRINT: Como a empresa estreitou relações com a Abigraf e quais frutos podem gerar por meio dessa parceria?
Angelini: A parceria dos Correios com a Abigraf é de longa data, mas nos últimos anos tem se mostrado altamente profícua, notadamente pela pauta em comum que compartilhamos: a defesa e o fomento da comunicação impressa. Essa parceria já produziu diversas interações. Podemos citar uma ação inédita da Abigraf que contribuiu para reforçar a sinergia entre o setor gráfico e os Correios na difusão dos benefícios da comunicação impressa. O primeiro resultado prático foi o evento “Valorização da Comunicação Impressa”, que ocorreu em 2015, na sede da Abigraf, em São Paulo, e reuniu 80 participantes de nossa força de vendas, além de representantes da indústria gráfica e mercado publicitário, contando com palestras sobre a indústria gráfica e sustentabilidade do impresso apresentadas pelo country manager da Two Sides Brasil, bem como apresentação sobre a importância da comunicação física no desenvolvimento de ações de comunicação das empresas, proferida por este escritório de marketing. Mais recentemente, nossa parceria com a Abigraf foi ampliada com a realização conjunta de palestras e workshops sob o tema “Eleições 2016”, reunindo diversos players do segmento gráfico do Brasil. A Abigraf produziu ainda uma cartilha de apoio aos candidatos a cargo eletivo (“Vote no Impresso”), sendo um dos capítulos dedicado às nossas soluções de comunicação para esse período.

GRAPHPRINT: Há uma equipe preparada para atender as necessidades de seus consumidores em relação à comunicação como forma de vendas?
Angelini: Os Correios possuem um verdadeiro exército para atender às demandas dos candidatos. São mais de 12 mil agências e 60 mil carteiros que levarão as mensagens dos candidatos a seus eleitores. Além disso, o escritório de marketing direto dos Correios poderá auxiliar com dicas preciosas sobre comunicação nesse período eleitoral. (marketingdireto@correios.com.br)

GRAPHPRINT: Destaque os serviços que ainda podem ser mais bem explorados pelos gráficos brasileiros e que, consequentemente, são fornecidos pelos Correios?

Angelini: O serviço Mala Direta Domiciliária pode e deve ser amplamente explorado pelos gráficos de todo o Brasil. É o serviço ideal para o pequeno empreendedor, que não tem uma agência de propaganda e que necessita prospectar e fidelizar sua clientela. Como exemplo, cito os salões de cabeleireiro, os petshops, as pizzarias e as adegas, entre outros. A distribuição é realizada porta a porta, sem endereçamento nos objetos e de acordo com a região escolhida pelo cliente. Esse é um serviço ideal que os gráficos podem oferecer para os seus clientes.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Kromos produz rótulos para garrafas colecionáveis Coca-Cola

                                                         
Cleiton Pontim, sócio e diretor comercial da Kromos, graduado em Administração de Empresas e MBA em Marketing pela FGV, com experiência de 25 anos no ramo gráfico, nos contou como foi o processo de produção dos rótulos termoencolhíveis para as garrafas de Coca-Cola colecionáveis das Olimpíadas Rio-2016.

O período das tratativas comerciais entre a Coca-Cola e a Kromos foi de março a maio. O início da produção foi em junho e segue até o momento atual. A produção, o desenvolvimento e a impressão foram os pontos fortes desse processo. O fato de a Kromos ter outra empresa chamada AplikLabel, que é fabricante de máquinas e equipamentos de aplicação e encolhimento de termoencolhíveis, possibilitou que todo o processo de produção fosse feito com os próprios equipamentos de fabricação e venda da Kromos. O que foi um grande diferencial dessa linha, pois até o momento ainda não haviam trabalhado com aplicação.

Cleiton Pontim comentou que foi algo muito interessante, pois todos os funcionários puderam ver e acompanhar a parte produtiva, que até então não existia dentro da empresa.

O grande desafio desse trabalho foi atender o prazo e o grande volume de garrafas, como também fazer manuseio de todas elas já envasadas. O projeto de um modo geral foi muito bom, e a Kromos o considera como um trabalho relevante que lhes deu visibilidade no Brasil e no exterior, e isso foi algo importante para a empresa, pelo fato de ser também exportadora e possuir vários clientes na América Central e na América do Sul.

Mais do que soluções em impressão de rótulos, a Kromos oferece uma relação humana pautada na transparência e no comprometimento junto a seus clientes, criando um relacionamento de confiança e parceria. Todo projeto é cuidadosamente desenvolvido para gerar o melhor resultado, enriquecendo e agregando valor aos produtos de seus clientes. 

Além disso, a Kromos alia a excelência de seu processo produtivo à flexibilidade, adequando-se às necessidades e realidades de cada cliente, tudo para que o resultado final seja surpreendente.

Sediada em Monte Mor, cidade da região metropolitana de Campinas-SP, a Kromos conta com uma instalação própria de 3.000 m2, equipada com máquinas flexográficas 8 cores UV de última geração e softwares específicos para edição de arquivos para impressão. Toda essa estrutura se completa com um time técnico composto de profissionais altamente qualificados e comprometidos com a excelência em todos os processos, desde a arte final até a impressão de rótulos sleeve e rótulos adesivos.

Sobre o Clube

O Clube da Embalagem é uma plataforma do Instituto de Embalagens, que tem como missão coordenar e realizar estudos, cursos, encontros e treinamentos que contribuam e desenvolvam o conhecimento.

Lá você encontra novas oportunidades profissionais, fica por dentro de cursos e eventos, aprende e pesquisa sobre embalagens. E ainda tem acesso a notícias diárias, cadastro de currículo e muito mais!


Desde 2005, já foram mais de 2.800 profissionais nos 63 cursos aplicados trazendo atualização, inovações, tendências sobre o tema, bem como quase 6 mil profissionais que participaram dos 79 eventos.

Desenvolve SP apresenta opções de financiamento em evento da Abigraf-SP

A Desenvolve SP - Agência de Desenvolvimento Paulista participa na próxima quarta-feira, 24, a partir das 8h30, do evento “Três perspectivas, uma decisão! Expansão na adversidade!”, promovido pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica de São Paulo (Abigraf-SP). Durante o encontro, os empresários terão acesso a palestras e poderão conhecer as linhas de crédito oferecidas pela instituição financeira do Governo do Estado que aliam baixas taxas de juros e longos prazos para pagamento.

Os empreendedores poderão conferir três palestras, com os temas: Sucessão Familiar, Fusões; Aquisições na Indústria Gráfica e Financiamento para Pequenas e Médias Empresas, esta última apresentada pela Desenvolve SP, que além da palestra, fará atendimento individual aos empresários, das 12h às 14h.

Para quem deseja inovar um processo ou produto, por exemplo, a instituição oferece linhas de crédito próprias com juros a partir de zero% ao mês. Para investir em expansão, modernização ou na aquisição de máquinas ou equipamentos, as taxas partem de 0,68% ao mês. 

“O objetivo é mostrar ao empresário que, mesmo em tempos de crise, é possível investir no crescimento da empresa de forma planejada e sustentável”, diz Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Desenvolve SP.


O evento é gratuito e aberto aos empresários associados ou não à Abigraf-SP. 

Como as vagas são limitadas, os interessados devem se inscrever pelo e-mail inscrição@abigraf.org.br ou pelo telefone (11) 3232 4524.

Durst destaca linha Tau 330 na Labelexpo Americas 2016

De 13 a 15 de setembro, a Durst participará de mais uma edição da Labelexpo Americas, que acontecerá no Donald e Stephens Convention Center, em Rosemont, Illinois (EUA). Neste ano, a empresa levará para o evento sua linha de impressoras digitais UV inkjet Tau 330 cujo modelo mais recente, Tau 330 E, foi apresentado na Drupa 2016.

O novo equipamento é um modelo entry-level para pequenas e médias empresas do setor label, e permite produzir em quatro ou cinco cores em alta velocidade (cerca de 48 metros lineares/hora) em largura de impressão de até 330 mm. Sua resolução atinge até 1000 dpi, permitindo imprimir imagens e traçados com alta qualidade visual e alta definição.


Na Labelexpo Americas 2016, a Durst estará apresentando a Tau 330 E em parceria com a empresa italiana OMET e seu sistema iFlex, imprimindo em linha amostras de trabalhos em variados tipos de mídia para diversas aplicações. Juntamente com a linha Tau, a Durst lançará na Labelexpo Americas o Durst Workflow-Label, um sistema modular de gerenciamento de trabalho que atua na etapa de pré-impressão, oferecendo ferramentas para controle e otimização de rasterização dos dados (RIP), gerenciamento de cores, controle do consumo de tinta e monitoramento dos dados de produção. 

Akad mostra lançamento para corte e gravação a laser

Projetado e desenvolvido na Suíça, o Laser BCL1006MM é uma máquina completa para demandas de corte e gravação a laser. 

Com área útil de corte de 1000mm x 600mm, traz perspectivas ampliadas para prestação de serviços nos mercados de sinalização, comunicação visual, serigráfico, indústria têxtil, indústria de vidros e de brindes promocionais.


Entre seus diferenciais, o Novacut BCL1006MM possui comunicação WiFi, painel de LCD para pré-visualização dos arquivos e sistema de movimentação vertical da mesa de corte e gravação para acomodar peças pequenas de até 150 mm de altura. Este equipamento já é fornecido com sistema de exaustão e compressor de ar, refrigeração a água do tubo do laser e software para operação do equipamento.

Com 90W de potência, o BCL1006MM é capaz de realizar trabalhos em materiais como; MDF, acrílico, couro, tecidos, entre outros materiais homologados pelo fabricante ou seja, tudo depende da criatividade e da demanda do usuário, respeitando às especificações da máquina.

Quanto a gravação a laser, o tamanho mínimo dos textos a serem gravados, varia conforme o material e o tipo da fonte. Antes de gravar ou cortar qualquer tipo de material é importante se avaliar as características dos materiais como: espessura, densidade, flexibilidade, dureza, tipo de tratamento da superfície, sensibilidade do material a exposição a altas temperaturas para certificar-se da viabilidade técnica.


O Novacut linha BCL possui garantia de 16 meses no corpo de equipamento, exceto consumíveis como espelhos, lente e tubo laser.

Produção das gráficas cresce e confiança do empresário aumenta no segundo trimestre

Conforme dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf Nacional), a produção física do setor, já descontado o padrão sazonal, cresceu 1,5% no segundo trimestre em relação aos primeiros três meses de 2016.

“Os sinais alentadores já haviam surgido no primeiro trimestre, quando nossa atividade recuou apenas 3,8%, em relação a igual período de 2015, ante queda de 5,7% da indústria de transformação como um todo”, salienta Levi Ceregato, presidente da entidade.

“O setor dá sinais de estabilização e ensaia uma recuperação”, observa Ceregato, analisando, também, o impacto do dólar alto sobre a atividade: “Alguns setores da indústria têm sido beneficiados pela variação cambial. Em parte pelo aumento das exportações e certamente pela substituição de importações. Além disso, o ajuste dos estoques tem permitido dados mais favoráveis de produção”.

Isso também vale para indústria gráfica, que reverte o déficit em sua balança comercial. O segundo trimestre registrou superávit de US$ 21,8 milhões. As exportações tiveram um acréscimo de 6% frente ao primeiro trimestre e 14% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando US$ 78,3 milhões. O valor das importações registrou retração de 7% e 15%, respectivamente, encerrando o trimestre com US$ 56,5 milhões.

“Uma recuperação mais expressiva da produção dependerá da retomada da demanda interna, pois é baixo o peso do setor externo na indústria como um todo, e nas gráficas, particularmente”. Além disso, a pressão de custos no setor é significativa, apesar da queda da cotação do dólar recentemente. “Ainda assim, à luz das surpresas recentes na produção física, estamos revisando a estimativa de queda este ano de 10% para 3%. Revisão expressiva e na direção desejada por todos”.

Os sinais mais positivos da produção física estão em linha com a melhora da confiança do Índice de Confiança (IC) do Empresário da Indústria Gráfica Brasileira, que atingiu, no segundo trimestre, a marca de 43,9 pontos, em uma escala de 0 a 100.


O indicador teve aumento de 2,8 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior. Apesar de estar distante da linha de neutralidade de 50 pontos, registrou a maior alta desde o primeiro trimestre de 2015, o que indica uma melhora mais rápida da confiança dos empresários.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Pesquisas comprovam credibilidade dos conteúdos impressos


Duas pesquisas, uma dos Correios e outra da Associação Brasileira de Empresas com Rotativa Offset (Abro), demonstram a confiança da população e de empresas na comunicação impressa. Os estudos foram apresentados em evento na Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf Nacional), no qual foi apresentada a cartilha produzida pela entidade, intitulada Vote no Impresso, destinada a orientar candidatos e partidos sobre a nova lei eleitoral e oferecer subsídios técnicos para a utilização eficiente de impressos na campanha deste ano.

A pesquisa dos Correios, realizada na cidade de São Paulo, mostrou que a maioria dos 2.400 entrevistados confia mais nos folhetos e malas diretas do que em qualquer outra mídia como forma de comunicação. Esta é a preferência de 26,3% dos depoentes. Seguem-se: rádio e TV (25%), jornais e revistas (16,7%), divulgação na internet (14,4%) e e-mails (14,1%).

O estudo da Abro teve caráter nacional, abrangendo universo de 1.027 pessoas, 31 agências de publicidade e 100 empresas varejistas. As principais conclusões são as seguintes: quando quer se informar sobre algum produto, a maioria da população (56%) vai diretamente ao ponto de venda, “o que revela a importância das embalagens como influenciadoras da decisão de compra”, salienta Levi Ceregato, presidente da Abigraf Nacional; outros 37% informam-se por meio de folhetos. 

“Na soma das duas alternativas, observamos que 93% consultam materiais impressos para se orientar sobre o consumo de bens”, avisa Ceregato. 

A pesquisa também demonstra que 100% das agências de publicidade recomendam a propaganda em folhetos e que 88% dos varejistas aderem a essa modalidade.

Ceregato acentua que as duas novas pesquisas corroboram estudos anteriores que comprovam a credibilidade da comunicação impressa. Ele cita recente relatório da American University, de Washington, EUA, que abordou 300 universitários dos Estados Unidos, Japão, Alemanha e Eslováquia, concluindo: apesar da ampla disponibilidade de plataformas eletrônicas como smartphones, tablets, readers e computadores, cujo uso faz parte da rotina dos jovens, o livro impresso segue muito à frente na preferência dos estudantes para leituras sérias, com 92%.

Ceregato aponta, ainda, pesquisa da Nielsen BookScan, que indicou: o número de livros impressos vendidos nos Estados Unidos em 2014 subiu 2,4%, alcançando 635 milhões de unidades. Segundo especialistas, o crescimento da venda de livros físicos deverá manter-se nos próximos anos, pois os novos leitores parecem gostar cada vez mais do papel. A Nielsen indica que a maioria dos adolescentes entre 13 e 17 anos prefere obras impressas. 

Além disso, as vendas de títulos de ficção para jovens adultos cresceram 12% em 2014, mais do que os dirigidos aos adultos.

Os relatórios da American University, da Nielsen BookScan e os agora apresentados pelos Correios e a Abro também são coerentes com pesquisa realizada em 2014 pelo DataFolha, que demonstrou: no Brasil, 59% dos leitores de livros e 56% de revistas optam pelas edições convencionais. No caso de jornais, 48% preferem acessá-los em computadores, tablets e celulares e 46% continuam fiéis às formas tradicionais. “É interessante o fato de que 80% dos entrevistados brasileiros afirmaram que ler em papel é mais agradável do que em uma tela”, enfatiza o presidente da Abigraf Nacional. A pesquisa do DataFolha foi realizada para Two Sides, campanha mundial que chegou ao Brasil em 2014, para difundir a sustentabilidade econômica, social e ambiental da cadeia produtiva do papel e da indústria gráfica.