quarta-feira, 27 de julho de 2016

Indústria Foroni atravessa fronteiras



Empresa brasileira investe em mercados internacionais e registra recorde de exportação em 2015

Com uma trajetória de mais de 90 anos e com mais de 3 mil itens em seu portfólio, distribuídos em linhas licenciadas e próprias, a Indústria Gráfica Foroni também é destaque nos territórios internacionais. A exportação de cadernos, agendas e envelopes já representa para a empresa 12% do volume de vendas anual.

Atualmente, a Foroni está presente em sete países: Estados Unidos, Costa Rica, República Dominicana, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela. No total, a quantidade de material exportado em 2015 somou mais de 17 milhões de unidades divididas em 9,5 milhões de cadernos e agendas e 7,6 milhões de envelopes, número recorde desde 15 anos atrás, quando a empresa começou a voltar suas atenções para os mercados internacionais.

Só para os Estados Unidos, maior comprador, foram exportados 8.166.204 cadernos. Além de diversos pontos de vendas nos EUA, desde 2015 os produtos da marca são comercializados na famosa rede Staples. No Chile, outro grande país importador dos artigos da Foroni, a distribuição é grande na rede de supermercados Wallmart. 

Para os países da América Central (República Dominicana e Costa Rica) foram exportados mais de 67 mil itens. Na América Latina (Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela), mercado onde a Foroni está em forte expansão, foram distribuídos 8.818.000 cadernos, agendas e envelopes.

Para atender a este volume, que no total é de 3 toneladas de papel, a produção dos materiais para os países da América Latina é feita praticamente junto com a produção para o mercado nacional durante 8 meses (julho a fevereiro). Os 4 meses restantes do ano (março a junho) são dedicados somente à produção para exportação de produtos para o mercado dos Estados Unidos.


“A Foroni possui uma planta muito automatizada que possibilita maior eficiência e controle nos processos de fabricação, permitindo assim o reconhecimento da marca em novos mercados”, destaca Marici Foroni (foto), diretora de marketing.

Contudo, o foco da Foroni é introduzir a cultura do caderno, como ela é conhecida no Brasil, pois o mercado nacional é altamente exigente. Em muitos países já é possível ver isso acontecer. A ideia é que, com o tempo, o caderno tenha cada vez mais um padrão universal.


O planejamento para 2016/17 é expandir ainda mais esta distribuição, ultrapassando novas fronteiras e investindo em um crescimento sólido nos mercados já estabelecidos. Atualmente a empresa está em negociação com Peru, Nicarágua e El Salvador, e até em destinos mais distantes, como os Emirados Árabes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário